quarta-feira, 24 de outubro de 2012

A alegria dos vermes ou uma vela pra tu




Vês, de nada adiantou tanto poder, tanta presunção esse tempo todo.

Perdeste a oportunidade que foi  dada a ti  para distribuir e viver  o amor  em todos seus  matizes.

Como diz aquela música:  devia ter amado mais...Ter visto o sol nascer.

Tantos anos sobre a Terra, e nada!

Se essa era tua missão. A de não amar, que missão escrota, essa.

Devia  ter encantado o mundo com tua beleza humana  e feito os filhos da Terra felizes, mas não.

Preferiste seguir a trilha do mal, do escárnio, do desamor.

Uma pena!

Adiantou alguma coisa?  Nada!.

O sangue derramou.

Nem lágrima terá para refrigerar tua alma perdida.

Não adianta mais, nada.

Agora jaz, aí, tua carne podre sendo consumida aos poucos.

Pelo menos, nessa forma, cumpre  uma missão: a de fazer a alegria e a   felicidade dos vermes.

É, com tudo isso, quem sabe alguém, solitariamente, passe aqui hoje  pra acender uma vela pra tu.

Um comentário:

suzy negreiros disse...

estilo filme do Tarantino..
adorei!