terça-feira, 18 de agosto de 2015

DOCE AMARGOR


Adoço com mel o amargor das tuas palavras.
Entrego-te o  favo inteiro para que adoces   o céu da tua boca de onde espero , com avidez, pela chuva do mais doce dos  nectas: o necta do amor.



sábado, 15 de agosto de 2015

AS MÃOS E O ABRAÇO


Pra que falar?...
Um toque basta

Acolho vidas.
Cuido de feridas.
Sinto o pulsar do coração que movimenta o corpo que sustenta a alma, e chora a perda do abraço que poderia ter salvado aquela vida

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

ROSA PÚRPURA

  
O que farei com a rosa púrpura que você me deu, perdeu o viço, secou e depois morreu?

Jogar fora?

Não!

Seria  uma grande desfeita e sinal de desprezo,
uma covardia,  e a ela quero eternizar.

O que farei com a rosa púrpura que você me deu, perdeu o viço, secou e depois morreu?

Já sei !!

Guardá-la-ei  dentro do  meu livro preferido assim, sempre que relê-lo,  relembrarei e exaltarei aquele dia que linda e esfuziante  ela chegou às minhas mãos e encheu de alegria o meu dia.

Também já tenho um plano  para o caso de vir as traças  a faça desaparecer  os restos  da  rosa púrpura que você me deu, perdeu o viço,  secou e depois morreu:
Guardá-la-ei no coração

Assim, ela, a rosa púrpura que você me deu, perdeu o viço, secou e depois morreu, com toda sua essência, será para sempre eternizada .


O MUNDO DOS POETAS



Dizer o mundo,  escrever o mundo, colorir o mundo.
Deixem o mundo  pelo menos por  alguns instantes com os  poetas.
Permitam-lhes  refazer a história.

Certamente nessa reescrita não haveria lugar para  holocaustos,  e outras atrocidades mais.

As guerras seriam só de palavras.
Não simples palavras, mas aquelas bem escolhidas,  bem desenhadas,  agasalhadas no coração do homem   e que fizesse renascer pelo menos a esperança de um mundo melhor.

Deixe o mundo com os poetas

No mínimo teríamos um mundo com almas.