segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Crença e limitação


Passaremos pela vida e o máximo que conseguiremos serão pistas sobre a compreensão real da nossa relação conosco. Daí a importância de ao longo da vida observarmos  os mínimos detalhes sobre nosso comportamento, e  posturas diante dos outros, mas principalmente de como nos relacionamos conosco. Acredito que a partir dessa compreensão vem necessariamente o conhecimento dos nossos pontos fortes, dos nossos pontos fracos, das nossas imperfeições que uma vez , mais ou menos conhecidos, nos credenciam corrigir rumos,  e a romper com as crenças limitantes que  nem sabemos que as temos.

As crenças limitantes, a experiência  mostrou-me  isso, funcionam  como uma espécie de veneno que  impede as pessoas de  alcançar  aquilo que querem.  Barram  o sucesso, sabotam e terminam por criar uma muralha invisível que trava o  potencial  humano de ser um vencedor. Quando não trava, o impede de enxergar o enorme potencial com o qual nasceu e a faculdade de ser herdeiro das riquezas do mundo.  Essas crenças, portanto, precisam ser combatidas, mas para isso é necessário que  sejam  identificadas  uma a uma, tarefa que não cabe a ninguém , não ser a cada um.


Para reconhecer as  limitantes  que nos  impedem de avançar na direção dos objetivos, é necessário parar um pouco para refletir e fazer uma viagem mental,  do  momento que nos percebemos   como humanos, até o momento atual vivido; contudo,  para o início dessa viagem é necessário que tenhamos a humildade de reconhecer que não somos infalíveis, que temos defeitos, que nem sempre o mundo,  ou as pessoas nos veem da maneira que acreditamos que somos.  

Diante disso, é preciso  que nos aquebrantemos diante de nós mesmo para enfim,  poder iniciar essa viagem e desta forma alcançar, livres de quaisquer amarras, os nossos objetivos. Não foi a toa, não custa lembrar, que Jesus nos ensina que " conhecerás a verdade, e a verdade vos libertará" , e a verdade aqui nesse caso específico mora dentro de nós. 

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

SABEDORIA ANCESTRAL


Se algo  voluntariamente te  chama atenção atenha-se a ele pelo tempo que for necessário. Disseque-o, compartilhe com ele a energia  até adentrar à sua essência. É na essência que está constituída a sabedoria ancestral que deveria  ser o alvo  de uma  das nossas inúmeras  buscas.

O homem, certamente se tornará melhor quando conseguir aprender a unir a sabedoria ancestral distribuída na composição do  “corpo genético”,  ou corpo material,  com  a consuetudinária,  e  com aquela  que se aprende,  e apreende  nos espaços acadêmicos.

Enfim, o caminho é íngreme e requer dedicação, mas ao final terá valido a pena ter,  pelo menos tentado,  acessar os códigos secretos de acesso que nos levam a uma conexão com nossa  ancestralidade por meio dos elementos da natureza.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Ás vezes...




Falo. 
Conto histórias.
Canto. 
Peço bençãos, peço esmolas.
Louvo.
Sinto, e construo sabores.
Imolo.
Vomito.
Cuspo.
Engulo o orgulho.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

(IN)CERTO FUTURO




A chuva sumiu!!
Foi embora junto com a mata que o homem destruiu.
Não tem mais  rio nos ares , nem no chão.
Acabou a evaporação!

No horizonte os olhos incrédulos do poeta, envolto  por oceano de  lágrimas ausentes,  a tudo assiste e sofre, e chora diante de tamanha devastação

 (Dedicado ao escritor e ambientalista Domingos Cézar)

domingo, 3 de setembro de 2017

ANGÚSTIAS DO TEMPO


O tempo não pode ser eleito como um obstáculo para as conquistas pessoais. 
A partir de determinada fase da vida nossa relação com o tempo pode embolar; talvez isso ocorra pela consciência da brevidade do nosso corpo físico que pelas regras da natureza começa a falir logo depois da  nossa  “estreia no mundo”.

Ansiedade, insegurança, arrependimentos, impotência são sentimentos que tendem a se potencializar e afetar nosso espirito quando o tempo começa a ser visto como um inimigo. Usar o tempo a nosso favor, nesses momentos faz-se necessário.  


Fugir das amarras do tempo, respeitando-o sem, contudo, ignorá-lo e  com  ele construir uma relação harmoniosa me parece um caminho razoável para o  início da construção dessa uma relação.

domingo, 20 de agosto de 2017

O ter e o ser


Na sociedade planetária O TER domina o mundo material. Não importa a etnia. Com o ter as portas se abrem, os sorrisos se libertam, e se brincar, até a alma  contudo,  é necessário compreendê-lo.

Numa compreensão superficial O TER se resumiria ao poder de suprir as necessidades materiais de cada indivíduo, no entanto, ao dissecá-lo é possível compreender que tal variável é apenas um dos elementos de sua complexidade. O TER, portanto, transcende ao material.

Ter saúde, paz de espírito, paciência, esperança, equilíbrio, coragem;  uma família, posição social,  um bom emprego, uma gorda conta bancária e  poder;  viajar o mundo, se formar,  e formar os filhos, são algumas dessas elementares do Ter  que  almejamos ao longo da vida. A ordem de importância é de caráter personalíssimo e intransferível bem como os caminhos a serem  trilhados para se atingir cada uma dessa metas.

Pode se dizer que a coragem tende a ser uma das vertentes mais importantes do  TER pois abriria espaço para a demais.  Sem coragem o Ser  esvanece  fica como um pássaro aprisionado numa gaiola com a porta aberta,   quieto, num estado de letargia. Com isso aparece o entendimento  que para ser livre é preciso exercitar o  TER  e todas suas vertentes.


Nas relações humanas para que você se estabeleça faz-se necessário desenvolver a capacidade de gerar   e  suprir  necessidades estabelecendo assim uma  certa relação de interdependência surgindo dessa “simbiose”  a premissa segundo a qual  na relação consigo o ser humano precisa estabelecer uma harmonia, e também uma interdependência, entre O TER e o SER para que não se perca a preciosidade do Ser,  Humano,  e um não atropele o outro.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Química da Alegria


A química do corpo pode ser atingida negativamente pela tristeza e pelos problemas, assim como a mesma química conscientemente pode  ser substituída,  e  agir de forma positiva pela {química} das conquistas e da  alegria.

Como resistir à química da tristeza e das dificuldades provenientes dos fatores endógenos e exógenos típicos das relações, intra e interpessoais?  Acredito que não permitir levar-se, e buscar  uma reação imediata seria o  caminho inicial.  Avaliar a situação e não incluí-la no rol das “coisas do fim do mundo”.


É importante concluir que tanto a tristeza quanto,  os problemas que enfrentamos ao longo da vida,  têm cura e de alguma forma são importantes para o crescimento pessoal.