terça-feira, 22 de abril de 2008

Emoção é quase tudo, parte II


Como o homem pode educar as emoções de modo que seja usada a seu favor, ou a favor dos outros?
Entendo que na sociedade moderna esse aprendizado tornou-se um fator de vida ou morte. Aprender a reagir positivamente diante de uma perda inesperada, uma tragédia familiar, uma traição, uma frustração qualquer, é uma tarefa hercúlea, mas necessária.
A pista para que o homem comece a aprender a lidar com as emoções vem de um outro grego: Sócrates, que um dia disse “ conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo de todas as coisas”, sugerindo e dando a devida importância à busca pelo autoconhecimento. O entendimento é de que se conhecendo melhor torna-se mais fácil para o homem lidar com suas reações emocionais e com as dos que o cercam.
Cito agora a estudiosa e consultora Margot Cardoso. Ela destaca que o descontrole apresenta um agravante fisiológico: bloqueia o raciocínio, compromete o funcionamento do cérebro e atrapalha o tão valorizado emocional. “ Quando você está nervoso, você olha sem ver e sente sem ouvir. Serenamente controlado o cérebro funciona melhor, diz a estudiosa.
E você, o quê acha?

Nenhum comentário: