quarta-feira, 27 de julho de 2011

Boemia


Boemia

Abrir a porta, fechar os olhos e sentir a lufada de ar no rosto,
Andar pelas ruas a toa, sorrindo naturalmente  e acenando para os amigos que encontrar
Arrancar  o relógio e arremessa-lo o mais longe que puder;
Libertar-se  das horas e dos compromissos marcados
Parar na banca de revista ler as notícias e  as últimas,  das novelas
Sentar –se à  mesa de um boteco, olhar pra direita, pra a esquerda, pra frente e pra trás a admirar as moçoilas a rebolar
Pedir uma cerveja. Sorve-la  e,  calmamente,  sentir a goela gelar esperando o outro dia chegar.

4 comentários:

Wagner Sousa da Silva disse...

Gostei Elson abraços...

Jana Flor disse...

O termo boêmia (bras.) traz consigo, de imediato, a idéia de dissolução, de irresponsabilidade, de vícios, de noites de embriaguez e, por conseqüência, de dias de ócio, para curar a ressaca. Durante muito tempo, essa expressão foi utilizada para rotular indivíduos que não eram, digamos, "muito responsáveis". Pessoas sem regras ou disciplina, incapazes de parar em qualquer emprego ou de constituir e sustentar uma família.

Jana Flor disse...

Ainda hoje a palavra tem esse sentido pejorativo. Mas nem todos os boêmios dedicam-se o tempo todo a noitadas alegres, regadas a álcool.

Kelma Silveira disse...

“ Indissolúvel é o homem que nunca esteve boêmio na vida.”

Adorei Elsinho...

Sucesso e abraços!!!