quarta-feira, 6 de abril de 2011

Sem eira, nem beira

 Foto:ilustrativa
Eu vi um homem, sem eira, nem beira, bem na rabeira.

Eu vi um homem sem dente, sorridente, contente, sob a marquise daquela gente que não gosta de gente.

Vi , ontem e hoje, um homem sem eira , nem beira.

Não era o bicho do Manoel, o Bandeira,

Era um homem!  Sem eira, nem beira numa luta sem fim.









Um comentário:

Jana Flor disse...

Elson, doe saber que esse homem sem eira, nem beira, não é apenas um poema é uma realidade de muitos nesse nosso mundo cruel aonde poucos tem a oportunidade de uma vida digna.Como já te disse é lindo!